Uma Breve História do Budismo

 

Transmissão da Índia ao Japão

 

  1. Na Índia

 

Quando a “Luz de Ásia” surgiu brilhantemente na Índia Central, foi assinalado um dos maiores acontecimentos que marcaram época na história espiritual da humanidade; ou em outras palavras, quando a Fonte da Grande Sabedoria e Compaixão ali se transbordou, enriqueceu a mente humana, através dos séculos, até os dias atuais.

O Buda Gautama mais tarde conhecido como Sakyamuni ou o “Sábio do clã Sakya” pelos adeptos budistas, abandonou o aconchego do lar, tornou-se um monge mendicante e dirigiu-se rumo a sul até Magadha, onde, presumivelmente nos meados do século V a.C., estando em meditação sob a árvore BO (Bodhi-Ficus Religiosa), alcançou o despertar. A partir desse momento começou sua árdua e difícil missão, continuando-a, incansavelmente, no decorrer de longos quarenta e cinco anos, até a Sua “Grande Morte”, com a qual entrou no Nirvana, pregando a Sabedoria e Compaixão. Após a sua morte, muitos e grandes templos budistas continuaram a aparecer nos reinos e em várias tribos da Índia Central.

Durante o reinado do Rei Asoka (268-232 a.C), o terceiro governante do Reino de Mauria, o ensinamento de Buda Gautama disseminou-se por toda a Índia, chegando mesmo a se propagar para além das fronteiras do país. O reino Mauria foi o primeiro estado monárquico a se consolidar na Índia. Este reino, no tempo de seu primeiro governador, Candragupta (316 – 293 a.C. aproximadamente) já ocupava um vasto domínio, que se limitava com as montanhas do Himalaia ao norte, ao leste, com o Golfo de Bengala; a oeste, com as montanhas Hindu Kush, e ao Sul, com as montanhas Vindhya.

O Rei Asoka expandiu, posteriormente, este domínio até o Planalto do Deccan, conquistando o reino de Kalinga e de outros. Este rei era tido como muito furioso por natureza e era chamado de Candasoka (o Furioso Asoka) pelo povo; mas seu caráter mudou completamente e ele se tornou um sincero devoto do ensinamento da Sabedoria e Compaixão, após testemunhar as desastrosas devastações causadas pela guerra, na qual Kalinga foi conquistado. Após este episódio, ele fez muitas coisas como crente budista, entre as quais se destacam dois empreendimentos dignos de nota.

O primeiro foi o édito de Asoka, ou os princípios administrativos, baseados no ensinamento budista, gravados em pilares de pedra ou em rochas polidas que ele colocou em numerosos lugares, disseminando assim o ensinamento de Buda. Em segundo lugar, ele enviou missões para todos os lugares, para além do seu reino até outros países, para que levassem o ensinamento da Sabedoria e Compaixão. Especialmente notável é o fato de que algumas dessas missões foram atingir lugares como a Síria, Egito, Quirene, Macedônia e Épiro, disseminando o budismo no mundo ocidental. Além disso, Mahendra, o embaixador enviado ao Ceilão (Sri Lanka), foi bem sucedido ao “estabelecer o maravilhoso ensinamento nesta bela e tranquila Lankadvip (Ceilão)”, iniciando, assim, a propagação do budismo em direção ao sul da ilha.

 

Nas próximas edições continuaremos com a história do Budismo.

 

Fonte:

*Direitos Autorais: BUKKIO DENDO KYOKAI; A DOUTRINA DE BUDA – 17ª EDIÇÃO – SÃO PAULO, SP; 2014.